Feeds:
Posts
Comentários

Conversa de elevador

Segunda-feira de manhã duas mulheres conversam no elevador do escritório…

– Oi queridaaaaa… Tudo bem? Como foi o final de semana?
– Menina, foi incrível! Fui pro Rio de Janeiro, encontrei vários amigos, me diverti horrores, comecei a semana super cansada…

(A verdade: Choveu pra caramba, não dava nem pra sair de casa, os amigos desgraçados furaram, passei o final de semana dormindo e ainda pra voltar foi aquele inferno no aeroporto!)

– Jura, vc foi pro Rio? Que demais! Eu fui aqui pro litoral norte mesmo… Fui com meu namorado e ficamos lá descansando um pouco, foi tranquilo mas foi uma delícia…

(A verdade: Aquele imprestável bebeu o final de semana inteiro e não fez porra nenhuma, e eu ainda tive que ficar aguentando os amigos bêbados dele comendo e bebendo as nossas custas e nem assistir TV eu consegui!)

– Ai, que gostoso né menina! Esse é meu andar, ótima semana pra vc!
– Pra vc tb querida!

Moral da história: Humano, demasiado humano!

Anúncios

Estava pensando

Esse final de semana eu estava pensando em criar um novo blog…

Mas dessa vez um blog de utilidade pública! hahaha

Como eu moro em São Paulo, e vira e mexe não consigo pensar num lugar bom pra ir comer, beber, comprar por bom preço, achados, etc, queria fazer um blog exatamente sobre isso! hahahaha

Lugares q eu vou encontrando no meu caminho, e que pode ajudar e interessar outras pessoas. E pretendo também expressar minha opinião sobre o serviço e demais coisas q eu encontrar…

Mas antes gostaria de saber a opinião de vcs… Oq acham??? Legal, chato, desnecessário… Podem ser sinceros! =)

Tô sumida, mas é pq o trabalho está me consumindo… Sinto mta falta disso ak… rs

Bjusss

Nossa, o tema do post hoje é complexoooo…. hahahaha

O que eu preciso para ser feliz… Bem, existe uma infinidade de coisas que eu preciso para ser feliz e ao mesmo tempo são bem simples em sua natureza…

Acho que a melhor coisa é dividir o tema em três partes:

– O que eu preciso pra ser feliz no momento
– O que eu preciso pra ser feliz no curto prazo (até uns 2 anos)
– O que eu preciso pra ser feliz na vida

(gente, como eu estou ficando engenheira… rs)

Agora, quero falar somente de uma coisa que me deixaria feliz, nesse exato momento (que se encaixaria no “o que eu preciso pra ser feliz no momento)

IR EMBORA CEDO DE TRABALHO NA SEXTA-FEIRA PRÉ-CARNAVAL…. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Piadinha do dia

Querido Deus,
Tudo o que peço para 2011 é uma conta bancária gorda e um corpo magro.

Favor não misturar as coisas como fez no ano passado.
Amém.

Na balada…

E a saudade é tanta, tanta, que hoje vou publicar mais de um post! hahahaha… Esse post estava pela metade há um tempo, então vamos publicá-lo!

Da minha impressão de estar ficando velha…

E daquelas velhas bem chatas e resmungonas, que não consegue aceitar mais nada de “moderno” na sociedade…

Dias atrás fiz uma coisa que não fazia há mto tempo: saí de balada.

Fui pra uma baladinha em Maresias, litoral de São Paulo, super conhecida e com fama de ser bem frequentada. Vocês provavelmente devem saber qual é, mas não vou ficar citando no meu blog pq não sou paga pra isso… rs

Aí tá né, fiquei naquela dúvida de oq vestir.

A balada é no litoral e estamos no verão. Logo, na minha mente ingênua pensei q não deveria ir toda trabalhada na super produção, colocar algo mais confortável, pra aguentar o calor e de maneira que não saísse de lá desfigurada pela maquiagem derretida, nem sair de lá mancando de dor no pé, total falta de classe né meninas??

Doce ilusão!

Chegando lá me deparei com um show de horror!

Mulheres semi-nuas. Sim, semi-nuas, com vestidos que eu não usaria nem se fosse a Angelina Jolie. Pq né, a gente pode ser bonita, mas precisa tb ter classe pessoal. E aquelas roupas, definitivamente não tinham classe. Fora toda a performace que essas mesmas moçoilas faziam pela “balatcinha”, performace digna de casa de prostituição, com o perdão da palavra…

A maquiagem era tão carregada que algumas vezes eu pensava q estava num concurso de Drag queen. Não, nada contra essas lindas das Drags, mas né, normalmente elas se pintam em demasia visto ser parte da fantasia delas… E as meninas da balada ficavam assim, igualzinhas as Drags lindas.

O comportamento então, vergonhoso! Se fosse filha minha, e tivesse esse tipo de comportamente vulgar, ia levar uma porradinhas (olha a polêmica) pra ver se vira gente.

E olha, eu não sou Ave Maria não… E não estou aqui pregando a burca para as mulheres… Só acho (minha humilde opinião) que essas pessoas não precisavam denegrir tanto a nossa raça, pq né, na cabeça dos homens machistas se umas e outras são assim, todas serão, e isso acaba atrapalhando as mulheres como um todo…

Tenho alguns amigos homens que compartilham dessa minha opinião sabe… Outro dia um amigo chegou a dizer q os homens estão virando gays pra ter algum tipo de desafio, pq com as mulheres eles deixaram de ter…

Não sei se isso é verdade, nem se eu concordo com isso, mas só com essa pequena frase eu comecei a pensar realmente no assunto… E pelas coisas que eu vejo não só em baladas, mas em qq lugar, eu fico com um certo medo de onde as coisas vão parar…

E eu to ficando velha mesmo! rs… Mas vcs não concordam?

Bjusss

Astróloga

Pessoas do céu! Preciso contar pra vcs as minhas últimas…

Daí q eu fui numa astróloga fazer meu mapa astral. Indicação da minha chefitcha nova e querida q super adora essas coisas assim como eu!

E eu simplesmente adorei! Primeiro que ela grava tudo q ela fala em CD, que super ajuda a gente a lembrar das “previsões” durante o resto da vida… hahaha…

Segundo que ela te DESCREVE perfeitamente bem… Sabe aquelas coisas que você acha que é, mas não tem certeza afinal você só acha… Então, ela te dá essa certeza e ainda por cima fala o pq disso…

Terceiro pq são previsões para um ano inteiro. De janeiro a dezembro, e se vc tiver alguma dúvida vc pode tirar com ele durante todo esse tempo e tals…

Dentre as coisas que eu “descobri” sobre mim é que eu sou apaixonada por trabalho. Verdade. Que eu gosto de trabalhar e isso é um prazer na minha vida, estabilidade profissional é essencial pra mim mais do q é para o restante das pessoas, e que um desequilibrio nesse setor afeta minha vida como um todo… Rá!

Outra coisa q ela falou é q eu preciso escrever. Juro q não estou brincando, ela disse que me expressar pela escrita é minha melhor forma de desabafo, e que isso deve ser fácil pra mim… E que escrevendo eu poderia ajudar pessoas a resolverem seus problemas tb! Tô emocinada! Quero mto ajudar vcs viu! hehehe…

Falou que 2011 será um ano meio calma, e como eu não gosto de nada mto calmo vou ter q exercitar minha pouco paciência… rs…

Enfim, saí de lá mais leve… Não sei se todas as previsões vão se concretizar, mas só se auto-conhecer já é mto bom!

Quem estiver em Sampa q tiver interesse me avisa q eu mando os contatos… Não a conheço pessoalmente e estou super indicando pq realmente adorei… É meio caro sabe, então é uma coisa a ser pensada com carinho!

Estou morrendo de saudades de todos vcs! Voltarei com força total no blog, pq até mesmo a astróloga falou q isso ak é mto importante na minha vida! =)

Bjusss

Mais a vida continua!

Oie pessoas do meu Brasil!

Eu me retirei durante esses dias para tentar me recuperar desse início de ano cabuloso para a minha pessoa…

As coisas não se resolveram, mas pelo menos eu estou mais calma e tentando tirar conclusões que sejam positivas pra mim de alguma forma, que me façam crescer e amadurecer, pq esse é o objetivo, não é mesmo?

De uma forma boa a terapia tem me ajudado consideravelmente, e mais uma vez fica a dica para todas as pessoas, de qualquer raça, cor e crença: Façam terapia! Existem coisas que parecem óbvias quando a gente começa a pensar, mas a gente nunca pensa! E quando pensa, não faz a devida associação. E uma outra coisa que eu aprendi é que não basta você ter a consciência dos problemas e coisas que te afetam. Você precisa fazer essa consciência virar sentimento dentro de você, e olha, essa é a parte mais complicada, pelo menos pra mim… É o que a santa da minha terapeuta diz: Você possui o intelecto correto, só falta fazer virar em sentimento.

Mas é um passo de cada vez.

É engraçado, pq fazendo uma avaliação da minha vidinha eu sempre tenho momentos como esse na minha vida. De tempos em tempos os acontecimentos me fazem perder as esperanças e simplesmente me derrubam. Mas de alguma maneira mágica, que juro por Deus não sei como, eu consigo sobreviver. Com alguns arranhões, fato, mas sempre sobrevivo. E o mais impressionante, eu nunca paro de sorrir.

Ontem eu assisti na “Grobo” um filme que me marca mto. “A procura da felicidade”. Lembro da primeira vez que assisti esse filme rolou uma mega idenficação. Primeiramente pq eu tb trabalho no mercado financeiro e foi uma luta árdua chegar até aqui. Eram seis ônibus e dois metrôs por dia, saindo do bairro onde morava, indo até o Terminal Santo Amaro e depois, pra ir pra faculdade, que ficava em São Bernardo do Campo.

Havia dias em que eu chegava chorando na faculdade. Era um choro mais de humilhação do que de sofrimento. Era a minha humilhação diária de acordar antes que o sol, ir trabalhar, sair correndo pra faculdade, chegar sempre atrasada, pq o transporte público não te permite ser pontual, e chegar em casa faltando apenas 5 horas pra você começar tudo de novo… E aos sábados, qdo eu poderia ficar descansando, e enquanto todo mundo saía de balada na sexta, eu ia dormir cedo, pq logo pela manhã tinha inglês e a aula ia até 4 horas da tarde.

Tinha dias que eu não aguentava mais meus pés, pq eu tinha que usar sapato social e eles me machucavam mto… Tinha dias que eu perdia o ônibus e pedia carona em algum fretado que passava por onde eu estava, tinha dias q o ônibus sujava minha roupa e eu chegava suja pra trabalhar, tinham os dias de chuva em que eu chegava toda molhada e descabelada e passava mtas e mtas horas presa no trânsito. Tinha ataque de PCC, que eu tive que pedir carona pra ex-namorado pra poder voltar pra casa. E as inúmeras vezes que pessoas sem escrúpulos me encoxavam, me empurravam, me acotovelaravam, pisavam no meu pé, roubavam meu estojo de canetas, e uma série de outros acontecimentos.

E as vezes o dinheiro do almoço não era suficiente, visto que tb usava o vale alimentação pra comer na faculdade… E a alternativa era me esquivar de almoçar com meus colegas de trabalho pq não haveria dinheiro pra comer onde eles iam comer. E aí eu ia comer o pior restaurante da face da terra onde você comia lavagem pelo preço de lavagem.

E algumas vezes por semana, na hora do almoço, eu fazia espanhol. Pq era o único tempo que me sobrava, e eu precisava fazer mais esse esforço.

Minhas roupas e sapatos sociais eram de quinta categoria. Eu tinha uma calça que uma perna era maior que a outra. Alguns sapatos, devido ao péssimo material, me davam um chulé horrendo e as vezes tinha programas de qualidade de vida no banco q eu trabalhava e eu tinha vergonha de ir pra não tirar o sapato qdo eu fosse me pesar. E mtas vezes eu via as meninas da minha área, q eram mais velhas, ficarem comentando de mim.

Eu não frequentei o bar da faculdade até o último ano, quando fui algumas vezes pra realmente ver como era. Eu achava um absurdo quem tinha a oportunidade de estudar e ficava usando o tempo pra ficar no bar. Eu não me permitia esse luxo pois sabia que todo dia eu tinha que matar um leão pra poder frequentar a aula, e isso me fez ficar intolerante com essas pessoas… Hj eu consigo entender que nem todos passaram por aquilo tudo, não posso cobrar postura nenhum de ninguém q não conheça o q eu conheci…

Lá pelo terceiro ano de faculdade meu pai, q me ajuda a pagar, passou por um momento de dificuldade financeira. E haviam algumas mensalidade em aberto que eu precisava quitar pra continuar estudando. Num ato de desespero por medo de não conseguir terminar o curso eu vendi à preço de banana a coisa mais cara e q eu mais gostava no mundo: meu notebook. Eu tinha ganho de presente do meu pai. Era a coisa mais valiosa q eu tinha, mas precisei fazer uma escolha e ela foi terminar a faculdade. Vendi pra um amigo de trabalho da minha mãe por 1/4 do preço que valia. Ele nem acreditava no negócia do China q tinha feito. E eu fiquei com a dor no coração de ter vendido meu presente…

Odeio quem se faz de vítima. Essa não é nem nunca vai ser minha intenção. Mas eu preciso as vezes me lembrar de todas as dificuldades q eu passei na minha vida pra ser quem eu sou e pra chegar onde eu cheguei, e dessa forma arranjar forças pra nunca desistir…

E é por isso q eu amo esse filme, ele me traz lembranças e inspirações! =)

Obrigada por toda atenção e msgs de carinho de todos vocês! Amo mto esse espaço…

Bjusss