Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Quero ser politicamente correta’ Category

Segunda-feira de manhã duas mulheres conversam no elevador do escritório…

– Oi queridaaaaa… Tudo bem? Como foi o final de semana?
– Menina, foi incrível! Fui pro Rio de Janeiro, encontrei vários amigos, me diverti horrores, comecei a semana super cansada…

(A verdade: Choveu pra caramba, não dava nem pra sair de casa, os amigos desgraçados furaram, passei o final de semana dormindo e ainda pra voltar foi aquele inferno no aeroporto!)

– Jura, vc foi pro Rio? Que demais! Eu fui aqui pro litoral norte mesmo… Fui com meu namorado e ficamos lá descansando um pouco, foi tranquilo mas foi uma delícia…

(A verdade: Aquele imprestável bebeu o final de semana inteiro e não fez porra nenhuma, e eu ainda tive que ficar aguentando os amigos bêbados dele comendo e bebendo as nossas custas e nem assistir TV eu consegui!)

– Ai, que gostoso né menina! Esse é meu andar, ótima semana pra vc!
– Pra vc tb querida!

Moral da história: Humano, demasiado humano!

Read Full Post »

E aí que eu ainda estou ak né… E olha só que legal, adivinhem quem eu combinei de encontrar por ak… A nossa amiga de todos os dias Afrodite!!! Sim, ela mesma, em pessoa, e ainda por cima me ajudou a comprar umas coisinhas pra mulher do meu pai, pq se dependesse só de mim eu não conseguiria voltar pra casa nunca mais, de tão perdida q sou!!! rs… Foi no mínimo engraçado, mal conheci a Afrodite e já levei ela pras minhas aventuras, com direito até a atendente de loja gago tentando entender o que eu queria e eu tentando entender oq o cara dizia… Hahhahaah…. Fro, mto obrigada pela ajudinha na cidade maravilhosa!!!

Aí que ontem, quando eu estava indo de Teresópolis, reparei numa coisa muito curiosa ao passar pela linha vermelha… Vocês acreditam que a prefeitura, ou sei lá que órgão do governo, colocou em algumas partes toldos de acrílico fosco, de maneira que a favela que norteia a linha vermelha fique escondida??????????? Assim, de maneira bem desumana mesmo. Estão tentando ESCONDER a favela.

Q???????????????

Então é assim galera, você não resolve o problema da miséria, da probreza, das desigualdades sociais. Você simplesmente TAMPA – literalmente – o sol com a peneira, escondendo a favela dos gringos que vierem pra cá visitar!!!! Clap clap clap – palmas pro Brasil…

E o pior é que já faz um tempo que isso foi feito, e eu não fiquei sabendo de absolutamente nada disso lá em São Paulo. Pode até ser q tenha saído em algum lugar e eu não vi, mais com certeza não foi um assunto de debate tão longo, pois se fosse todos nós haveríamos de saber… Logo, qual a conclusão que eu chego??? Que ninguém falou nada… Cadê os intelectuais de esquerda q adoram encher nosso saco por tudo mais não levantam a bunda da cadeira de 3 mil reias?? Cadê os artistas decadêntes ou não, ou os estudantes com suas ideologias de banca de jornal??? Pq nenhuma crítica Brasil????

Enfim, foi só um desabafo mesmo. Não pretendo ir lá tirar um-por-um até pq a linha vermelha é perigosa, vai q eu morro né, aí quem vai vir ak reclamar no blog as mazélas desse país? Mais pelo menos fica registrada minha indignação pra quem quiser ouvir…

Tchau

Read Full Post »

Talento

A semana não foi fácil. Não estava esperando q fosse, mas conseguiu superar minhas expectativas… Rs
Mto trabalho, mta coisa pra estudar, fiquei doente, chateada, enfim… Agora estou melhor!

Na verdade esse post nem é pra falar disso, pois quero falar de coisas boas!
E uma coisa q eu acho particularmente fantástica é o talento.
Existem pessoas com talento e pessoas esforçadas.
A diferença entra elas é a seguinte: As pessoas esforçadas podem se matar de estudar, de praticar, mas nunca chegam a exelência.
Elas no máximo são boas.
Agora as pessoas com talento, essas sim, são sempre melhores. Elas nascem prontas pra brilhar, sem fazer esforço nenhum.
Eu por exemplo, não tenho talento nenhum… Tenho algumas facilidades, como por exemplo escrever… Mas não classifico isso como talento.
Mas não é de mim q estou aqui pra falar…
Esse dias encontrei na net um cara que eu denomino Talentoso com T maiúsculo.
Ele chama-se Yosuke Ueno.
Os desenhos desse cara são sensacionais! Simplesmente assim!
Seguem alguns, pra vocês compartilharem comigo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fofíssimos

Se quiserem conferir mais desenhos desse talento, segue link:

Read Full Post »

Algumas vezes na vida a gente pára e pensa mto nas nossas escolhas, nos nossos caminhos, onde estamos atualmente, onde queríamos estar e tb onde ainda almejamos chegar…

Esse dias estava conversando com uma amiga minha, num desses momentos sinceridade, e dentre um assunto e outro ela chega e me fala: “Eu realmente não te reconheço mais… A amiga que eu conheci era toda paz e amor, meiga, não se importava com coisas supérfluas nem com status, e sim com um mundo melhor…

Pausa para o choque: Primeiro, nunca, nunca, nunca me senti uma pessoa meiga. Segundo: Ok, eu ERA legal e agora sou oq? O mal da humanidade? Um monstro?

Exageros à parte, fiquei pensativa sobre o assunto… Fiquei pensando como era meu pensamento hj e há uns anos atrás…

Confesso que me assustei com a mudança. E confesso tb que algumas dessas mudanças não foram pra melhor…

Qdo eu tinha lá pros meus 18 anos, eu fui morar com o meu pai no Rio de Janeiro… Isso realmente me fez ver a vida de outra maneira, pois uma hora eu estava com a minha mãe, minha família e meus amigos e na outra eu me vi sozinha num lugar totalmente inóspito, sem amigos, tendo que fazer toda a “construção” da minha vida daquele momento pra frente…

Isso me fez amadurecer bastante e dar valor para coisas que até então eu não dava, principalmente estudar e a cia minha mãe…

Nessa época também eu tive oportunidade de ler muitos livros e ver muitos filmes, pois eu não tinha outras distrações como se eu estivesse em São Paulo… Lia em média uns 5 livros por mês, e lia de verdade, sem “leitura dinâmica”…rs… As vezes passada a tarde na biblioteca, onde tive contato pela primeira vez com Karl Marx e me apaixonei perdidamente pelos ideais de um mundo melhor e mais justos, onde as pessoas tinham as mesmas oportunidades… Foi então que decidi de uma vez por todas fazer Economia.

Em meus finais de semana, eu ia na locadora pegar inúmeros filmes, e passada o sábado infurnada no meu quarto assistindo a todos eles… Isso me dava um prazer enorme, e foi a época q eu descobri os grandes clássicos do cinema, como Felline, Buñuel, Godard…

Também entrei bastante em contato com a Natureza… Ia pro cursinho todos os dias de bicicleta (inclusive já fui atropelada por isso), observando a paisagem e respirando o ar puro de lá… Particularmente não ia tanto com a cara dos cariocas, mas tenho q confessar a beleza daquela cidade e o bem que ela faz para seus habitantes… Não bebia, não fumava e não comia nenhum tipo de carne, e passava meus dias comendo maças, bolacha de água e sal, e chá mate gelado.

Politicamente falando eu era um pouco mais radical, no sentido de querer mudanças estruturais na conjuntura política brasileira, sendo aquilo que eu hoje denomino de “lá revolución!”. Não concordava com os problemas do país, sentindo uma extrema necessidade de ajudar ao próximo e à humanidade.

Acreditava mto em Anjos, e apesar de não ter uma religião específica, eu fazia a minha própria religião, pegando fragmentos dos quais eu acreditava de cada uma das existentes.

Quase não ligava pra roupas, moda, era mto tranquila com relação a isso… Andava de chinelinhos, sandálinhas, calça jeans e camiseta… Não que eu não tinha vaidade, isso eu SEMPRE tive, mas minha vaidade não me controlava…

Então finalmente voltei pra São Paulo, depois de um ano morando fora. Acredito que tenha sido a melhor época da minha vida…

Prestei vestibular e passei muito bem em Economia. Levando sempre comigo os meus princípios. Comecei a trabalhar, ganhar meu próprio dinheiro, assumir as minhas responsabilidades e permaneci com esses pensamentos ainda durante quase toda a minha faculdade…

Querendo ou não, com o passar do tempo você vai “endurecendo”. Vai vendo que as pessoas não são tão legais quanto vc imaginava, a vida não é tão justa e tão fácil como você gostaria, aprende a sentir medo, inveja, raiva, aflição, desespero. Apanha, quebra a cara, e é obrigada a levantar com sorriso no rosto pois ninguém precisa nem quer saber dos seus problemas. Aprende q vc não consegue mudar nem o mundo nem as pessoas.

Aprende outras coisas que você nem quer nem percebe que está aprendendo.

Toma atidudes impensadas sem maldade e acaba sofrendo as piores consequências, bem cruéis. Machuca pessoas que você ama e que nunca mereciam serem machucadas.

Conhece pessoas falsas, cai em tentações, se deslumbra com coisas sem valor, e chora mais um pouquinho.

Desacredita em deus.

Então se agarra, se afunda naquilo que está mais presente na sua vida: o trabalho. Se afunda nele como se fosse a única coisa importante na sua vida. E entra naquele velho discurso do “sem tempo”. Não que haja muito tempo mesmo, mas se a gente se esforça um pouquinho sempre dá. O problema é q vc normalmente não quer se esforçar mais nada! E essa “falta de tempo” vira sua principal desculpa pra virar as costas pros problemas dos outros e até mesmo para os seus.

Aí você começa a namorar. E vai se afastando dos seus amigos, principalmente se seus amigos não frequento o seu atual ciclo social.

E vai absorvendo os valores, costumes, ideologias e idéias das pessoas a sua volta. Meio por preguiça, meio que por sobrevivência e meio sem querer.

E o ciclo vicioso só te traga mais e mais pro fundo. Lógico que você não percebe, mas os sinais sempre aparecem…

Alguns amigos que somem, cansados do seu descaso. Família carente e chateada com as suas atitudes fica distante, namorado sobrecarregado com suas lamentações, comentários do tipo “vc está mudado”, “não acredito que vc está pensando assim agora”, etc…

Não acredita em mais nada na real… Vivo a minha vida assim mesmo, bem individualista, com as minhas ambições e só…

E por fim, você se torna só mais um no mundo. Exatamente igual a grande maioria q vc criticava.

E hj isso está me fazendo sofrer… Minha mãe, q é psicóloga, me disse q esse sofrimento e essa dor é a dor do crescimento, mas eu discordo. Pra mim é a dor da saudade. Saudade de mim mesma, saudade de quem eu era… Q apesar de não concordar com o q acontecia no mundo, me esforçava pra fazer a diferença.

E esse blog talvez seja pra isso mesmo… Me reencontrar comigo mesmo, ver que existem pessoas fora do meu umbigo, que existe gente boa e feliz e q está disposta a me ouvir.

Só pra fechar, como o grande Cazuza disse uma vez: Ideologia, eu quero uma pra viver…

Read Full Post »